Presente do céu

Hoje alguém vai ganhar na mega-sena
Mais de cem milhões
Hoje eu ganhei a lua
Um presente em meu nome
Pergunto-lhes:
– Quem de nós ganhou o dia?

rio branco, 29 de maio de 2021

Victor

ele é uma das únicas pessoas por quem escrevo
é o único para quem penso em enviar meus textos

se escrever me completa,
ele é o único que me conhece por inteira

Continue lendo “Victor”

pro menino que eu beijava

será que ele
pensa que eu
penso nele
pensando se ele
pensa que eu
penso nele

tava aqui
pensando de repente ficou
pesado talvez deva logo colocar um
penso nesse meu peito descom-
pensado

A extinção das goiabas

Certo dia caminhava rumo à padaria de mãos dadas com meu irmão. É um detalhe importante visto que o meu acompanhante, felizmente, não caminha como os adultos. Na verdade, acho que a sua principal atividade ali era observar – o caminhar apenas fazia parte.
  O fato é que o ritmo da criança só me deixava a alternativa de observar também: as pessoas, as calçadas ridiculamente irregulares e desconfortáveis, o comércio, a loja de ferramentas que tem de tudo (e um dia quero entrar lá)…

Continue lendo “A extinção das goiabas”

Coração

Eu acho muito bonito quem fala com propriedade do próprio coração. O meu… Ah! Esse já foi alienado, dado em garantia, até hipotecado. Só não deixei fazer financiamento: ou amava de uma vez ou nada.

Continue lendo “Coração”

Mais de 30 dias de quarentena

— Trouxe nova palma. A que aí está é enxertada, creio.
— Pelo menos é doce — pontuei. Não trava.
Ajudei minha mãe a tirar as compras das sacolas sem máscara, um erro. Coloquei laranjas, tangerinas e bananas compridas na cuba. Enchi-a d’água e pinguei água sanitária. Já tinha virado hábito, assim como borrifar embalagens com a mesma mistura — quando não, álcool a 70 por cento — e passar uma toalha de papel.

Continue lendo “Mais de 30 dias de quarentena”