setenta e um

Que há de errado
Em deixar que o tempo
Pese sobre o corpo

E assim a testa pese sobre
Os olhos
E o nariz sobre a boca

E todo o corpo olhe para baixo
Com certa melancolia
Não daquele que se abate
Mas que sabe que viveu

rio branco, 24/04/2021

septuaginta unus da minha avó materna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s